O Show e os Músicos

member

Fred Nascimento

Fred Nascimento, um dos maiores guitarristas brasileiros, que tocou com a Legião Urbana e o Capital Inicial, também é cantor e compositor. Uma das figuras marcantes do cenário seminal do rock brasileiro dos anos 80, chegou a lançar dois singles pela Polygram e um álbum pela CBS com a formação em duo chamado Rosa Púrpura. Co-produziu o álbum de estréia do trio black "As Sublimes" e tem músicas gravadas por diversos artistas.
Participou da gravação de álbuns da Legião Urbana (Música para Acampamentos / As Quatro Estações Ao Vivo / Como é que se diz eu te amo), Barão Vermelho (Barão 3), Capital Inicial (Rosas e Vinho Tinto).

Fred estreou em show da antiga Rádio Cidade no fim dos anos 70 acompanhando o cara que o lançou na minha carreira, o Renato Terra que havia gravado um sucesso country chamado “Bem-Te-Vi” e era a atração principal do show. Dali pra frente começou a trabalhar ativamente como músico de estúdio na Polygram, gravando violões e vocais para muitos artistas. Pela Polygram Fred gravou “Dilúvio” de sua autoria, e “Perdido Sonho” em parceria com Pedrin Gomes, e posteriormente gravou o que queria, que era o Rock’n Roll. As canções foram “Romance Internacional” e “O Último Vagão”.Neste período tornou-se também um compositor bem ativo compondo para Marina Lima, e até para a Xuxa!

Ao voltar para o Rio e Janeiro, conheceu o João Paulo Mendonça e formoucom ele um duo chamado Rosa Púrpura e gravamos um LP do Rosa Púrpura, um disco muito bonito, ousado, e que tinha como convidado especialíssimo o guitarrista Sérgio Dias, ex- Mutantes.

O Rosa Púrpura conquistou muitos fans, mas um em especial Renato Russo. Então, Renato Russo fez o convite para Fred integrar a Legião Urbana como músico de apoio. Foram dez anos de convivência maravilhosa ao lado da a maior banda de todos os tempos.

Com o fim da Legião formou um power trio chamado Tantra com o Gutje ex-baterista da Plebe Rude e o colega de Legião Gian Fabra. Depois o Gutje deixou a banda e em seu lugar entrou o baterista Marcelo Vig. O single "Corvos sobre o Campo" fez sucesso e o Tantra gravou 3 álbuns. Posteriormente, em uma segunda fase da banda, juntou-se ao Tantra, Carlos Trilha e Lourenço Monteiro. Após esse período, Fred foi chamado por Dinho Ouro Preto para substituir o Kiko Zambianchi na tour do disco acústico do Capital Inicial que estava fazendo muito sucesso por todo o país, tocando com eles por 4 anos!

member

Carlos Trilha

Nascido em Florianópolis, músico profissional desde 1984, Carlos Trilha sempre interessou-se pelo universo físico e eletrônico envolvido na música e na geração dos sons, tornando-se tecladista, sintesista e programador desde os 10 anos de idade. Em 1989, Trilha foi convidado para se mudar para o Rio de Janeiro e integrar a banda de Léo Jaime. Seu conhecimento raro em síntese e áudio logo foi percebido pelo meio musical carioca. O jovem músico, como acontecia em Santa Catarina, começou a ser muito solicitado para participar de gravações e shows de grandes artistas como Kid Abelha e Leoni.

Em 1992 foi convidado para apoiar a Legião Urbana. Sua afinidade musical com o grupo despertou o interesse de Renato Russo que convidou-o para arranjar e produzir seus trabalhos solo (The Stonewall Celebration Concert e Equiliíbrio Distante).

Sua experiência com os samplers e sintetizadores acabaram transformando Trilha em um dos brasileiros pioneiros do audio digital; pois, ao se deparar com a primeira estação ProTools do Brasil, no estúdio Discover no Rio de Janeiro, Trilha já tinha conhecimento sobre o assunto o que acabou transformando-o em uma espécie de sócio/colaborador do estúdio. Ele entrou no Discover em 1993 para trabalhar com Renato Russo, e saiu somente em 1997 quando se mudou para o seu próprio estúdio no Jardim Botânico. Durante esses anos Trilha realizou centenas de programações, arranjos, produções e participacões com praticamente todo o cenário musical carioca.

Carlos Trilha acabou tornando-se um músico, produtor, arranjador e programador muito conhecido e respeitado no meio artístico. Nos últimos anos trabalhou junto com o cantor Lobão (parceria que rendeu 2 albuns contundentes para o cantor (2001, Uma odisséia no Universo Paralelo-2001 e Canções dentro da Noite Escura – 2005).

Produziu também nesse período 5 projetos da banda Catedral (2003-2005) e outras bandas de rock como Autoramas, Cabaret, Libra, Penélope e Tijuquera (SC). O elaborado e belo CD "A Febre dos Sonhos" de sua própria banda, o "Tantra" e finalizou seu primeiro projeto solo "Retrotech" – 2007. Nos últimos anos, ele ainda esteve presente nas turnês internacionais "Memórias Crônicas e Declarações de Amor", "Universo Particular" e "Verdade, Uma Ilusão" de Marisa Monte como tecladista/ programador/arranjador; e também como tecladista nas turnês "Estampado" e "#AC" de Ana Carolina.